SALA DE AULA INVERTIDA E FATORES INTERVENIENTES DA APRENDIZAGEM: EXPERIÊNCIA EM UMA INSTITUIÇÃO FEDERAL DE ENSINO SUPERIOR COM UMA TURMA DE ALUNOS DE GRADUAÇÃO

Paula Pinheiro da Nóbrega, Priscila Barros David, Andrea Soares Rocha da Silva

Resumo


A metodologia ativa denominada sala de aula invertida tem propiciado mais oportunidades para estimular a comunicação assertiva entre os participantes de cursos, treinamentos e disciplinas, por contribuir com a dinamização dos processos de ensino-aprendizagem. Atualmente, ela conta com mais uma significativa vantagem, que é o fato de poder fazer uso de tecnologias digitais. Apresenta uma sistemática, onde, primeiramente, os alunos estudam os conteúdos para depois irem à sala de aula, com o intuito de tirarem dúvidas, trocarem conhecimentos, sendo, portanto, sujeitos de sua aprendizagem (BERGMAN; SAMS, 2012). Diante do exposto, o presente artigo tem como objetivo investigar os fatores intervenientes da aprendizagem a partir da aplicação da sala de aula invertida em uma turma de Graduação de uma Instituição Federal de Ensino Superior. Participaram do estudo vinte e três estudantes e sua professora, tendo como dados avaliados: experiência anterior com EaD, recursos didáticos, aprendizado de normas técnicas, conteúdo da aula, relação entre teoria e prática, qualidade dos trabalhos escritos pelos discentes e sondagem sobre a realização de outros cursos na modalidade EaD, os quais foram obtidos a partir da aplicação de um questionário e da realização de entrevistas com os participantes. Os resultados apontam que a sala de aula invertida elevou a participação e interesse dos estudantes no aprendizado individual e coletivo, propiciando um relevante protagonismo discente.

Palavras-chave


Sala de Aula Invertida; Fatores Intervenientes da Aprendizagem; Interação Dialógica; Práxis Reflexiva

Texto completo:

PDF


ISSN - 1982-6109 - Qualis:B1