FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DE FILOSOFIA DO ENSINO MÉDIO: A EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA REDEFOR

Juliana Janaína Tavares Nóbrega

Resumo


O retorno da Filosofia como disciplina obrigatória no Ensino Médio, com a aprovação da lei 11.684/08 que altera o artigo 36 da LDB de 1996, coloca em pauta não só a preocupação com conteúdos e metodologias de ensino, mas a própria formação dos docentes que ministram ou irão ministrar a disciplina. A pesquisa em questão é resultado de uma dissertação de mestrado que estudou o Programa Redefor, do Governo do estado de São Paulo em convênio com a Universidade UNESP de Marília. Realizado na modalidade a distância, o programa surgiu em 2010 como proposta de formação continuada, em nível de pós-graduação, para professores de diversas áreas que atuam na rede estadual de ensino, dentre elas, a Filosofia. O trabalho teve por objetivo conhecer a percepção de professores de Filosofia da Baixada Santista, que atuam na rede estadual, sobre o processo de formação continuada em Filosofia em curso da modalidade a distância, com foco no REDEFOR. Como fundamentação teórica, a pesquisa apoiou-se em Ghedin (2008), Severino (2003) Saviani (1996), Gallo (2006), Alves (2002), Libâneo (2004), Gatti (2009), Rios (2003), Pedrosa (2003), Vilarinho (2001), entre outros. A pesquisa constituiu-se numa abordagem qualitativa e método crítico-dialético, e foi realizada com base na aplicação de questionário exploratório e a realização de entrevistas. Os resultados apontaram para o fato de que as diferentes motivações e concepções de formação continuada dos cursistas influenciam diretamente no desenvolvimento e avaliação do curso, o que levou a reflexão sobre a importância da investigação sobre as necessidades formativas dos sujeitos para o processo de criação e desenvolvimento de cursos de formação continuada. Quanto à modalidade a distância, os participantes não demonstraram dificuldades com a interação no ambiente e atividades virtuais, senão a de falta de tempo para a realização das leituras e tarefas que muitas vezes eram delegadas à madrugada, devido ao excesso de tarefas diárias docentes e acúmulo de funções. Sinalizaram, porém, para uma distância entre as questões teóricas vivenciadas no curso e a prática da sala de aula, como um fator negativo, tendo em vista a concepção de formação continuada em serviço.
Palavras-chave: professores de Filosofia; ensino a distância; Redefor.

Texto completo:

PDF


ISSN - 1982-6109 - Qualis:B1