APRENDENDO INGLÊS A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DE PRÁTICAS DE SPEAKING NA LICENCIATURA EM LETRAS PELA UFC VIRTUAL

Karoline Zilah Santos Carneiro, Karlucy Farias de Sousa

Resumo


Aprender a falar inglês pode ser um desafio na Educação à Distância (EaD), devido à necessidade de adaptações metodológicas para quem ensina, bem como da autonomia de quem aprende. Este trabalho investiga como o Instituto Universidade Virtual (UFC Virtual), ligado à Universidade Federal do Ceará, em parceria com a Universidade Aberta do Brasil (UAB), possibilita que os alunos da Licenciatura em Letras – Língua Inglesa e suas Literaturas – aprendam a habilidade de produção oral (speaking). O corpus é a disciplina Língua Inglesa 3A – Produção e Compreensão Oral, oferecida no terceiro semestre do curso, no período de março a maio de 2018. Nesse estudo qualitativo, realizamos uma observação participante e acessamos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) Solar, a fim de analisar quais eram as ferramentas de comunicação disponíveis para que os discentes conversassem em inglês entre si e com o tutor. Para isso, verificamos quais tipos de interação foram oferecidos na plataforma: síncronas (em tempo real); assíncronas (em horários diferentes); ou multissíncronas (combinando as duas formas). Pesquisamos, também, os roteiros disponibilizados para as tarefas de speaking, em busca de identificar se os alunos poderiam praticar conversações autênticas, ou se repetiam frases previamente formuladas. Os resultados mostram que os aprendizes não tiveram oportunidades para se comunicar em inglês em tempo real a distância pelo Solar, nem de receber correções ou comentários sincrônicos do tutor. Confirmamos, ainda, que as tarefas roteirizadas poderiam dar margem para que os alunos não se engajassem em diálogos espontâneos.

Palavras-chave


Educação a Distância; Aprendizagem de Línguas a Distância; Aprendizagem de Língua Inglesa; Desenvolvimento de Oralidade

Texto completo:

PDF


ISSN - 1982-6109 - Qualis:B1